WORKSHOP PARQUE NACIONAL DAS EMAS

O 1º WORKSHOP DE 2022 VEM AÍ!

01.jpg

Local: Pousada da Glória Ecoturismo/Parque Nacional das Emas

Data: 23 a 24 de julho de 2022 (Sábado e domingo)

Ingresso por pessoa: R$90 (+ R$30 - Taxa de limpeza da pousada, lanche noturno e café da manhã)

Durante nosso evento, ficaremos nas aconchegantes instalações da Pousada da Glória, um local privilegiado dentro do Parque Nacional das Emas, que será nosso destino em diversos passeios e trilhas. Para aqueles que desejarem acomodações, a pousada oferece chalés e quartos via Airbnb.

Enquanto atualizamos a página, você pode solicitar os links dos apartamentos via whatsapp.

Nosso evento começa no pôr do sol de sábado e termina no amanhecer. Entretanto, o restante do dia pode ser aproveitado em passeios e atividades no Parque Nacional das Emas. E aí? Vem comigo?

O QUE É O WORKSHOP DE ASTRONOMIA?

Conhecer o céu noturno possibilita a observação e a identificação das luzes e fenômenos que acontecem todos os dias sobre nossas cabeças. O workshop é uma reunião de um grupo de pessoas com o propósito de conhecer o céu em um local privilegiado, longe da poluição da cidade. Utilizando telescópios vamos conhecer todos os planetas visíveis do Sistema solar como Marte, Júpiter e Saturno e apontaremos ainda as  constelações, galáxias, nebulosas, e estrelas distantes com informações  e curiosidades sobre os astros a medida que fazemos nossa tour pelo Universo.

Se deixar guiar pelo céu é um caminho sem volta, de descobertas e novas visões, muito além do que poderíamos imaginar. Na segunda metade do mês de julho, acontece uma chuva de meteoros e tendo o Parque das Emas um céu praticamente transparente, vamos observar essa chuva de estrelas cadentes no final da madrugada no alto da torre de observação, onde acompanharemos o clarear do dia com uma visão panorâmica da reserva natural.

Background 1080p turma workshop.jpg

A turma com a nossa Galáxia Via Láctea ao fundo, na última tour de Workshops.

 

O CÉU NO DIA 23 DE JULHO DE 2022

Essa é a melhor época do ano para observar o céu no Hemisfério Sul. Logo após o por do sol, veremos a nossa Galáxia a Via Láctea, surgindo no céu. Ela nos acompanhará durante quase toda a noite, e com os telescópios vamos navegar pelas nebulosas e aglomerados mais brilhantes no braço de Sagitário, o lado da galáxia que vemos daqui do Sistema Solar.

A Via Láctea sobre o Rio Formoso no PNE e um zoom em seu centro mostrando as inúmeras nebulosas e aglomerados no braço galático. Foto/Arquivo/Phablo Araujo

via lactea phablo araujo exemplo.jpg
stellarium-014.png

Logo as 21h já será possível observar Saturno e às 23h o planeta Júpiter (o maior do sistema) nascerá no horizonte. Marte, possivelmente a próxima parada da humanidade e ícone de discussão durante a noite, estará visível a partir das 2h da manhã. No final da noite como falaremos a seguir, teremos praticamente todos os planetas alinhados no céu.

Simulação no programa Stellarium mostrando o alinhamento planetário que estará acontecendo no dia do workshop do dia 23 de Julho.

Tem muito mais estrelas no céu do grãos de areia em todas as praias da Terra. Essas estrelas pertencem à Galáxias e a nossa é só uma entre bilhões de outras. O céu do Parque é tão limpo, que poderemos com sorte observar a Galáxia de Andrômeda a olho nu. No telescópio, teremos uma vista deslumbrante da galáxia mais próxima de nós, porém ainda assim tão distante, que sua luz demora 2,5 milhões de anos para chegar até aqui.

Galáxia de Andrômeda registrada com um dos nossos telescópios nas proximidades do Parque Nacional das Emas.

M31-July-2021---Oort-S8-Acro-Phablo Araujo-.png

CHUVA DE METEOROS

Teremos o privilégio de estar sob um céu transparente em uma noite onde a Terra atravessa o rastro de poeira de um cometa. Isso gera uma chuva de meteoros que é o nome dado quando vemos várias "estrelas cadentes" depois de observar por alguns minutos. A "Delta-Aquaridas" é uma chuva famosa e pode gerar alguns bólidos ou meteoros grandes. Essa chuva acontece todo ano entre julho e agosto, com pico no final de julho. Isso porque é sempre nessa época que a órbita da Terra encontra o rastro de poeira de um cometa chamado "96P\Machholz". O nome da chuva vem por conta da direção do rastro, pois quando observado da Terra os meteoros parecem estar vindo da constelação de Aquário. Legal não é?

A primeira turma que levei para o alto da Torre de observação do PNE. Nesse dia estávamos observando a chuva de meteoros Perseidas, que acontece no mês de Agosto. Reparem que fiquei meio transparente na foto, isso porque eu cheguei no meio da exposição, pois minha câmera não estava funcionando o intervalômetro. Mas é uma foto memorável, amo muito.

turma 1 Phablo Araujo.jpg
stellarium-015.png

Simulação no Stellarium mostrando a constelação de Aquário e a direção do radiante da chuva de meteoros "Delta-Aquaridas".

O AMANHECER

Esse é um momento praticamente mágico no Parque Nacional das Emas. Neste dia, a Lua minguante nascerá por volta das 4h e então poderemos observar as crateras e as montanhas do nosso satélite natural, também outra parada importante durante nosso bate papo astronômico. Após um lanche quentinho, vamos fazer uma visita à torre de observação onde poderemos observar o restante da chuva de meteoros e algo muito interessante de se observar nos dias de hoje: os satélites artificiais! São centenas deles cruzando e refletindo a luz do sol a centenas de quilômetros acima de nós, na órbita da Terra. Possivelmente, poderemos ver até a Estação Espacial Internacional ou a Chinesa, ambas são tripuladas. Além das máquinas distantes, a partir da torre vários municípios são vistos em volta com suas luzes artificiais.

Lá na torre vamos presenciar a mudança de tonalidade do céu, com o planeta Vênus encerrando a noite com chave de ouro. Ver a estrela D'Alva brilhante como uma bola de fogo no céu é incrível e nesse momento, você poderá notar praticamente todos os planetas que são visíveis a olho nu em um arco celeste. E quando o sol aparecer, veremos a imensidão verde que se estende 360º em volta da torre, os limites da reserva e os mais de dois milhões de cupinzeiros no horizonte, aguardando as chuvas para abrigar a bioluminescência, que ocorre a partir de setembro.

001.jpg

A turma observa o início do dia no ponto mais alto do Parque, que por si só fica a 1000 m (mil metros) acima do nível do mar.

PROGRAMAÇÃO

EM BREVE

 
 
 

ESTA PÁGINA ESTÁ SENDO ATUALIZADA. EM BREVE MAIS DETALHES DO PRIMEIRO WORKSHOP DE 2022!

INSCRIÇÕES ABERTAS!